Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Contos das Estrelas

Neste blog são apresentados conteúdos literários. Para qualquer assunto podem contactar o autor via ruiprcar@gmail.com. Aceitam-se contributos de outros autores, de 4 a 24 de cada mês, relativos ao tema Natureza ou Universo :-)

Contos das Estrelas

Neste blog são apresentados conteúdos literários. Para qualquer assunto podem contactar o autor via ruiprcar@gmail.com. Aceitam-se contributos de outros autores, de 4 a 24 de cada mês, relativos ao tema Natureza ou Universo :-)

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Nova foto para inspiração

por talesforlove, em 28.07.20

Bom dia Amigos(as) Autores(as),

Partilha-se uma nova foto para inspiração, quem sabe para uma poesia.

foto2inspiracao.JPG

 

Até breve.

Em dia de esperança.

por talesforlove, em 22.10.18

Em dia em que se sabe que mais alguns refugiados morrem no Mar Mediterrâneo, recorda-se, por um lado, o Concurso Literário "Natureza 2018-2019" que se iniciou a 15 de Outubro, e por outro, o nosso papel essencial na proteção do meio ambiente. Quem sabe se ter uma pequena planta no parapeito da janela não poderá fazer a diferença? E aquele pedaço de plástico que não vamos atirar para o chão? Quem sabe se essa pequena ação não evitará no futuro que sejamos nós refugiados ambientais? 

Ninguém sabe.
Até breve.

No início de Outubro, Alfama, terra da alegria - Primeira Publicação

por talesforlove, em 02.10.18

E ainda que Alfama seja sempre terra de alegria, sempre, pois é feita de pessoas livres como o vento, que lhe seguem os passos, aqui fica um poema mais triste, ironicamente belo e escrito pela poetisa brasileira Viviane P.

 

FADO


Eu fui grande um outro dia, 
O meu nome era alegria,

Eu amava tal Maria,

Sempre sol era o que  eu  via.
Meu sorriso reluzia,
Minh´ alma se expandia,
Eu sonhava e não dormia.
 
 
Era noite,  ouvi um  fado,
Meu  olhar ficou parado,
Nas lembranças do passado,
E eu fiquei logo cansado.
Descobri que ao meu  lado,
A tristeza tinha estado,
Eu  sofria, um coitado!
 
 
Madrugada, eu entendi,
Alegria eu  não vivi,
E em Alfama descobri,
Naqueles bares em que caí,
Os fados todos que esqueci,
Cujas  letras eu bebi,
E embriagado eu me vi.
 
 
E me vi em muita dor,
Em  um fado de amor,
Deste  fado, eu sou cantor,
Mostrando todo  o esplendor,
De ser  fadista, um sonhador,
Vou com ele onde for,
Pois, sou do fado o senhor!

 

 

Recordamos ainda a importância de utilizar a água de forma responsável e quem sabe reutilizar quando possível. Eventualmente, lavando os vidros do carro com água sem detergente e no final utilizar a água suja, no balde, para regar uma planta.

 

É também com enorme satisfação que anunciamos para breve o Concurso Literário "Natureza 2018-2019".

 

Até breve.

 

meta

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D