Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Contos das Estrelas

Neste blog são apresentados conteúdos literários. Para qualquer assunto podem contactar o autor via ruiprcar@gmail.com. Aceitam-se contributos de outros autores, de 4 a 24 de cada mês, relativos ao tema Natureza ou Universo :-)

Contos das Estrelas

Neste blog são apresentados conteúdos literários. Para qualquer assunto podem contactar o autor via ruiprcar@gmail.com. Aceitam-se contributos de outros autores, de 4 a 24 de cada mês, relativos ao tema Natureza ou Universo :-)

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Nascimentos...

por talesforlove, em 01.04.21

E hoje, enquanto nasce o resultado de uma nova Edição do Concurso Literário Natureza, saibamos fruir de um pouco de poesia e esperança. Aqui podem encontrar o regulamento da Edição atual: https://contosdasestrelas.blogs.sapo.pt/concurso-literario-natureza-2020-2021-92476

 

Sagrado, por Sílvia Silva (Portugal)

 

Eu encontro a força

Na natureza

Chãos sagrados

Da Terra Mãe

Vontade do Pai Sagrado…………

e a água de Neptuno ...

Todos nós carregamos vontades

Palavras sagradas ...

(Traga paz…)

Chamamentos divinos ...

(Shhh ... mantenha-se imóvel ...)

Esperamos ... por dias melhores

(Vai se tornar realidade ...)

Os sonhadores existem

Eles unem-se ...

No nosso Santuário.

 

Tradução livre de:

Sacred, por Sílvia Silva

 

I find the strength

In the nature

Sacred floors

Of Mother Gaia

Holy Father's Will

and Neptune's water...

We all carry intentions

Sacred words…

(Bring peace…)

Divine callings…

(Hush... stand still…)

We hope... for better days

(It will come true…)

Dreamers exist

They unite…

In our Sanctuary.

 

E aqui, como que em contemplação do inexplicável, relembremos Alpha:

 

 

Até já.

A Força das Estrelas

por talesforlove, em 10.01.21

Hoje partilha-se neste blog um poema de Henrique Segurado "Post Scriptum" (ou Tílias ou À Sombra das Tílias):

 

Post Scriptum

 

Por baixo das tílias

Há sombras, raízes.

Se escavarmos mais:

Palácios e casas

E lá mais fundo:

Cidades, países,

Reis, imperatrizes

E formigas de asas.

 

Debaixo das tílias

Crescem os jacintos,

Os bicos de lacre

Mais os flamingos.

Debaixo das tílias

Mandam os instintos.

Debaixo das tílias

É sempre domingo!

 

Convida-se ainda a encontrar mais em:

http://bibliotecariodebabel.com/geral/tres-poemas-de-henrique-segurado/

https://omeuinstante.blogs.sapo.pt/tag/henrique+segurado+pavão

 

Partilha-se ainda o trailer do Filme "Alpha", para o qual se promete uma tentativa de crítica quando tal for possível. Aqui o original, sempre preferível com legendas:

Pode ser encontrada versão com legendas aqui:

https://www.youtube.com/watch?v=GDqNF_PUkaQ

 

O filme parece vindo da Idade do Gelo ou do Frio Físico para a Idade do Frio Psicológico. E relembra a irmandade, sempre no fio da navalha, entre a Humanidade e a Natureza. O filme tem o enorme apelo de ter honestamente um final feliz, o único que se deseja. Vale a pena ver este monumento à Natureza.

 

Relembra-se o Regulamento do Concurso Natureza 2020-2021, já publicado.

Até breve.

“Lobos, Humanidade e Florestas” Parte II – CORONA

por talesforlove, em 13.03.20

Esta relação de medo e ódio como o lobo assemelha-se quase à nossa relação com o corona vírus, no sentido em que neste momento muitos de nós se sentem perseguidos por uma besta. Existe entre o homem e a natureza uma balança que se desequilibra em determinado momento. Agora somos nós a presa, mas uma presa que reage e luta... A circunstância atual não podia ser mais adequada a esta analogia. Infelizmente.

A situação em Itália é como se fosse um vislumbre do pavor e ficção, e ainda assim vemos sinais de unidade/união entre as pessoas.

É provável que esta situação venha a servir para aprendermos ainda mais os valores da entreajuda e depois de superarmos esta fera microscópica, só visível em microscópio electrónico, eventualmente tenhamos alguns dias de Verão tardio, feito de Paz e Tranquilidade.

Vamos acreditar e HOJE somos todos Itália!

Fica um vídeo com música do filme Franco-Italiano “Cinema Paradiso” ou em Português “Cinema Paraíso”, de 1988.

https://www.youtube.com/watch?v=ozkqm2ifMw8

 

E hoje é o dia de aniversário do autor do blog.

Um abraço a todos os leitores e leitoras, voltem sempre e partilhem, subscrevam.

Obrigado.

Até breve.

“Lobos, Humanidade e Florestas” Parte I

por talesforlove, em 13.03.20

O lobo é um predador em vias de extinção em muitos locais da Europa. Em Portugal o panorama não é diferente, mas não é só ele que está em vias de desaparecer, são também as comunidades rurais que com eles conviveram durante séculos: as compostas por pastores.
No livro “Malditos histórias de homens e de lobos” de Ricardo J. Rodrigues, jornalista, faz-se um retrato desta relação de amor e ódio, quanto mais ódio quanto mais amor, em terras dos Lusíadas. “Tudo” começa com a oportunidade de ver um covil de uma alcateia no Gerês em local elevado, cercado de arbustos; um misto de mistérios, hormonas da excitação e curiosidade. Tudo como se não se tratasse de um local de chegada, mas sim um marco para uma jornada inesperada. E foi…
Ao viajar na “companhia do lobo”, ou seja, tendo-o na nossa mente, descobrimos que afinal ele é um animal gregário e que toda a alcateia se une para salvar o lobo e loba alfa e sua prol, não vá a comida não chegar para todos e a alcateia desaparecer, vítima da fome. Hoje as autoestradas são verdadeiras muralhas, fronteiras quase intransponíveis que cercam tanto pastores como lobos e tudo isto causa estranheza, pois é como se numa via como esta, apenas interesse o ponto de partida e o ponto de chegada. As comunidades por onde estas passam são retalhadas e a “liberdade” de circulação se tornasse limitada.
Em polos opostos homens e lobos, afinal no mesmo lado… A tal ponto que estes últimos, sente-se, se tornam tanto símbolos de medo como de identidade comum.
Faz agora algum tempo que na TV ouvi a história do último lobisomem, alegadamente morto no Alandroal. Mais do que misticismo ou receio transformado em imaginação, parece que esta proximidade humanidade vs animal fez nascer uma criatura “nova”: realmente fonte de união entre os dois…

 

 

Até breve.

meta

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D