Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Contos das Estrelas

Neste blog são apresentados conteúdos literários. Para qualquer assunto podem contactar o autor via ruiprcar@gmail.com. Aceitam-se contributos de outros autores, de 4 a 24 de cada mês, relativos ao tema Natureza ou Universo. :)

Contos das Estrelas

Neste blog são apresentados conteúdos literários. Para qualquer assunto podem contactar o autor via ruiprcar@gmail.com. Aceitam-se contributos de outros autores, de 4 a 24 de cada mês, relativos ao tema Natureza ou Universo. :)

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Um poema de Natal por Marcelo Souza (Brasil)

por talesforlove, em 24.12.18

Sonho de Natal 

Muito cansado 
Com o corpo esmaecido 
Voltei do centro animado 
Com as compras do Natal. 

Recolhi-me para dormir 
E tive um sonho encantado 
Onde cada presente comprado 
Ia diminuindo até sumir. 

Ao passo que o presente 
Ficava ausente 
Um necessitado 
Deixava de sofrer, ficando contente! 

Jesus Cristo abençoou 
Todos que estavam em angústia 
E o solitário ficou solidário, 
Esquecendo dos seus problemas. 

O doente voltou ao normal 
E o violento comemorou sem igual 
Num sonho de Natal 
Onde nada é impossível, 
Nada é normal... 

Só basta a gente sonhar 
E realizar, mexendo com as emoções, 
Pois o sonho de amar 
Está incrustado em nossos corações. 


Até breve.

Dois poemas por Ricardo S. (Brasil)

por talesforlove, em 31.07.18
Devasso desejo!
 
O sono profundo toma conta do meu ser;
Vastos são os desejos que afloram no meu corpo ao fechar dos olhos;
O véu da noite brilha radiante; como uma raposa do deserto, eu farejo os teus rastros, sinto a brisa fresca carregar o teu perfume por quilômetros sendo impulsionados pela poeira levantada do teu vestido de cor vermelho escarlate;
Quando balanças teus cabelos e andas com teus passos largos, as flores em tua volta se envergonham com tamanha beleza e se escondem ofendidas;
Tu não és musa, não és miss, muito menos princesa, mas o teu peso, a tua presença física e o teu poder sobre a natureza e os mortais te dão status de Deusa!
No teu caminhar, até a tua sombra ganha vida, quando passas rente ao mar, o teu poder é sentido, deixando as ondas sem direção e longe da calmaria;
Tu carregas em teus braços o segredo da sedução e da servidão, a magia das ilusões, a chama que aquece os corações dos puros, o sono dos amantes e a chave do que se chama amor!
Tu atormentas os homens oferecendo desejos que jamais serão alcançados;
Por que carregar tantos corações apaixonados no teu manto sagrado da perdição, se sabes que todos os homens jamais irão possuir o que querem de ti?
 
Amor à primeira vista
 
Real e lúdico ao mesmo tempo, energia paralisada;
O mundo deixa os seus movimentos de rotação e translação para trás por alguns minutos;
É o começo de uma vida a dois, sabendo que vai dar certo antes de acontecer;
Troca de olhares cheios de mistérios e enigmas incompreendidos pela grande maioria dos seres vivos;
Momento natural e único, eternizado com o doce sabor do tempo;
Amor que já nasce com o tema de uma boa novela ou de uma bela poesia.
Privilegiados, são os que sabem amar com o soprar do vento no rosto, com o calor crescente tomando conta do corpo sendo acompanhado de batidas aceleradas do coração.
Amor a primeira vista, me perdoem os que nunca sentiram; confesso que é para poucos!
 
Até muito em breve.
 

Poema "Incêndio" por N. Lopes - Recordando os Fogos de Pedrógão

por talesforlove, em 17.07.18

 

Incêndio
 
Esta sombra encarnada de sangue
agarrada aos passos desta gente
é agora sofrimento bumerangue
um vai e vem da dor que se sente
 
É sofrimento do tamanho do céu
caído nas cinzas que se respiram
cobrindo as almas com um véu
dos corpos que daqui partiram
 
E é de lavaredas este interior terra
acesas no peito dos que a sentem
gritos ouvidos dos vales até à serra
na suplica a Deus que os afugentem
 
Aí fogo queimado para sempre aceso
aí chuva semente de sangue corrente
trás tu a liberdade a este povo preso
ao trauma do corpo e de alma doente

 

E que de ti se construa nova esperança
levantando a sombra que lhe dá o corpo 
renascida natureza que o sentir alcança
sol e terra semente de vida pelo morto 
 
E que dessa dor de incêndio profundo
se salvem as grandes pedras brancas
como pombas de esperança no mundo
fechando as portas da dor com trancas

 

Boas leituras e até breve.

 

 

meta

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D