Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Contos das Estrelas

Neste blog são apresentados conteúdos literários. Para qualquer assunto podem contactar o autor via ruiprcar@gmail.com. Aceitam-se contributos de outros autores, de 4 a 24 de cada mês, relativos ao tema Natureza ou Universo :-)

Contos das Estrelas

Neste blog são apresentados conteúdos literários. Para qualquer assunto podem contactar o autor via ruiprcar@gmail.com. Aceitam-se contributos de outros autores, de 4 a 24 de cada mês, relativos ao tema Natureza ou Universo :-)

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Fernando Pessoa e o teatro?

por talesforlove, em 24.03.24

Será que Fernando Pessoa gostava de teatro?

É o pensamento de hoje. Afinal, para Robert Bréchon (in Estranho Estrangeiro) os heterónimos são as máscaras ou rostos que este escritor assume para melhor se exprimir. Afinal, também, Pessoa viveu vários anos no Largo do São Carlos, via o teatro da sua janela ou ao sair de casa todos os dias…

 

Utilizando a sua máscara de Alberto Caeiro afirmou:

 

     Quando está frio no tempo do frio, para mim é como se estivesse

                                                                                   [agradável,

      Porque para o meu ser adequado à existência das coisas

     O natural é o agradável só por ser natural.

 

Eventualmente o teatro fosse natural para ele de tão habituado estar a ele.

 

Hoje, chegada a Primavera, aqui fica um poema de Luís Amorim, contida na Antologia Natureza 2021.

 

“Nova face de natureza” Luís Amorim por (Portugal)

 

Findo o tempo quente

E mau efeito posto

Houve que mudar rosto

No florestal ambiente.

 

Nova face de natureza

Foi definida ao princípio

Numa rede pelo ofício

À comunidade sua riqueza.

 

Sociedade deu contributo

Com levada aplicação

Na colectiva plantação

Das espécies no ideal reduto.

 

Crescimento terá demora

Mas espera recompensará

Quando alegria já tem hora.

 

É neste dever que contará

Sempre e desde agora

Até cidadania que perdurará.

 

O regar no presente mora

E ao futuro bem chegará

Como tão saudável flora.

 

Notas:

a) Antologias disponíveis em papel;

b) São possíveis críticas literárias a novas obras.

 

Até breve.

Sonhar é necessário

por talesforlove, em 17.03.24

Porque sonhar é mesmo necessário, hoje aqui ficam dois poemas da Antologia Natureza 2021. 

 

Em busca do sonho” por Luisa Andrade (Brasil)

 

No rosto marcado, o espelho aponta,
a face da vida que não amedronta:
valem os enleios que a noite apronta,
real ou história que o sonho confronta.

Na mente ingênua, imagens bordadas,
sublime aquarela recém desenhada;
mergulho suave, águas espumadas,
alento ao corpo de vida cansada.

Mente renovada, tão limpa, tão fresca!
Nova tela se forma: rara beleza!
Um tapete verde, flores arabescas,
o grande legado da mãe natureza.

Qual rara pintura de mãos talentosas,
surgem na tela colina, prado, monte,
que se desdobram, de forma generosa,
então se alongam em distante horizonte.

Por trás das retinas, de olhos fechados,
a visão do céu em completa amplitude.
Estrelas ou nuvens, desenhos formados:
projetos de paz, padrão de quietude.

 

A mente saudável lhe traz esperança

de ver toda criatura em sintonia.
O sonho real é deixar como herança
a vida na terra em total harmonia


Ao constatar na mente as necessidades
de ver tudo aquilo por fim preservado,
traça em sonho reais possibilidades:
mundo natural, como fora criado.

 

Pequenas observações” por Noi Soul (Brasil)

 

Ao observar a natureza,
folhas, flores, céu, nuvens, terra, ar…
Percebo o quanto tudo pode estar
em perfeita harmonia!
A junção da mão divina com a mão humana
pode ser esplendora e radiante...
Se soubermos cultivar!

 

É como se a vida tivesse sentido de ser!
O sol que queima minha face…
As flores que perfumam o meu dia…
A terra que sustenta os meus pés…
Os pássaros que tocam aos meus ouvidos…
As folhas que bailam pelo ar…
As pessoas dançantes que brilham
e dão brilho a todo este ambiente
coberto de natureza e gente!

 

Tudo parece se explicar, de repente!

 

As palavras ecoam pelo coração e pela alma:
ainda há tempo de se aventurar
ainda há tempo de salvar a vida
ainda há tempo de sonhar

 

Nota:
A) Continua o Concurso Literário ao ator Ruy de Carvalho em https://contosdasestrelas.blogs.sapo.pt/concurso-literario-em-homenagem-a-ruy-163153

 

Até breve.

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D