Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Contos das Estrelas

Neste blog são apresentados conteúdos literários. Para qualquer assunto podem contactar o autor via ruiprcar@gmail.com. Aceitam-se contributos de outros autores, de 4 a 24 de cada mês, relativos ao tema Natureza ou Universo :-)

Contos das Estrelas

Neste blog são apresentados conteúdos literários. Para qualquer assunto podem contactar o autor via ruiprcar@gmail.com. Aceitam-se contributos de outros autores, de 4 a 24 de cada mês, relativos ao tema Natureza ou Universo :-)

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

No Dia da Terra

por talesforlove, em 22.04.21

E no dia da terra vi a mãe dos campos floridos.

esteva.jpg

Até breve.

Poemas a Marco Paulo

por talesforlove, em 17.04.21

O Concurso Literário Natureza 2020-2021 terminou no passado dia 13 de Abril. Todavia, tal como previsto no regulamento, fazemos um breve prolongamento de tempo para receber mais alguns poemas para homenagear Marco Paulo. Por outras palavras, até final de Abril, ainda recebmos poemas para homenagear Marco Paulo!

Entretanto, partilha-se um programa de Bruno Nogueira, com forte componente ambiental:

https://www.tsf.pt/programa/tubo-de-ensaio/emissao/agua-com-sabor-a-fukushima-13567652.html

E, já agora, este sobre petições...

https://www.tsf.pt/programa/tubo-de-ensaio/emissao/agarrados-as-peticoes-13562999.html

Portanto, partilha-se, novamente, esta petição para Portugal, e que fz muito sentido em tempos de Covid-19:

https://peticaopublica.com/mobile/pview.aspx?pi=movimento8

 

Finalmente, partilha-se sobre a felicidade...

https://fuiprocrastinar.blogs.sapo.pt/530-ser-feliz-da-trabalho-567385

 

Para terminar, hoje, apresenta-se a seguinte poesia de Viviane P.:

 

Isolamento

 

Eu me perdi no sofrimento,

Vi tanta gente triste , tanto vento.

Fiz até analogia entre a chuva e o sentimento.

Eu não vivo mais a contento...

Não tenho mais um parágrafo, vírgula, acento,

Só tenho mesmo hiatos, um e outro momento.

Frases curtas, miúdas e um pensamento,

Me expresso em contingências sem qualquer questionamento.

Sigo a passos lentos, mente em arrebatamento.

Ah, o futuro não está mais em andamento...

Eu me enganei , me faltou discernimento!

E, no meu peito veio o arrependimento,

De não ter percebido o grande acontecimento:

A virada no mundo, o afastamento!!

Por que não mudei meu comportamento?

Agora é um a um em isolamento!

Eu sinto muito, ah, como eu lamento...

Mas, deixo aqui meu depoimento:

A tristeza sim é que é aprisionamento!

E ainda que obrigatório o distanciamento,

Posso desejar-lhe em um aceno, um cumprimento,

Dias melhores, dias de paz e de acolhimento!

 

Até breve.

 

 

 

 

O nosso Marco Paulo

por talesforlove, em 11.04.21

Bom dia.

Relembra-se que no Concurso Natureza 2020-2021 se pedem poemas para homenagear Marco Paulo! Vejam o regulamento neste blog, algumas partilhas atrás.

 

Por este facto, aqui partilhamos duas músicas do Marco e ainda um primeiro poema em sua homenagem. Espera-se que vos inspirem. Divulguem.

Marco Paulo - Nossa Senhora (TV)

Entretanto, partilha-se este texto sobre o Caminho de Santiago:

https://onthewrittenroad.blogs.sapo.pt/150-km-depois-7980

 

Marco Paulo - O que é que fazes esta noite (TV)

 

Marco Paulo, simplesmente
 
És o Homem, o Cantor, de Amor,
Dos espinhos, pedras e luz.
Humilde e simpático que nos seduz
e nos empresta o seu grande calor.
 
E neste torpor de música
Nem percebemos que és marco
das nossas vidas e esperanças,
como se de novo fossemos crianças.
 
O teu sorriso Jovial alegra-nos,
a Fé do teu coração, aquece-nos,
és o nosso Pessoa musical:
como se a tua voz iluminasse a nossa Natureza Humana.
 
Finalmente, fica o convite para conhecer mais sobre Bordalo II:
Obras de Bordalo II em Faro alertam para preservação de cavalos-marinhos da Ria Formosa | TVI24 (iol.pt)
https://tvi24.iol.pt/sociedade/arte/obras-de-bordalo-ii-em-faro-alertam-para-preservacao-de-cavalos-marinhos-da-ria-formosa
 
O Concurso Literário Natureza 2020-2021 termina a 13 de Abril (salvo indicação em contrário).
Até breve.

Crítica a António Cisneros e Lisboa sempre revisitada

por talesforlove, em 02.04.21

Hoje, recorda-se o poema "Então nas águas de Conchán", de António Cisneros.

https://contosdasestrelas.blogs.sapo.pt/tempo-de-ciencia-esperanca-pandemia-e-95013

 

Uma tentativa de crítica literária.

 

Há mais marés que marinheiros, tal qual há mais interpretações possíveis para este poema… feito de uma baleia, baleias em sonho, pedaços de vidas, recortes de imaginários, esperanças e fonemas.

Existe uma baleia feita de esperança, a qual dá à costa e ilumina as vidas de gentes quase despidas dessa mesma esperança… Desprevenidas, aperceberam-se, então, que a sua mãe natureza já os e as havia dotado dos instrumentos físicos e mentais, para aproveitar tudo o que ali se encontrava à mão, para construir um futuro melhor.

A nossa mãe natureza é tal qual um canivete Suíço, contém em si todos os caminhos do universo, desde os abismos marítimos até à vizinhança de Cassiopeia. Resta-nos “olhar e estar de acordo” tal como no poema Girassol de Ricardo Reis. Afinal, ser uma pessoa é também ser natureza, nada somos sem que ela nos permita. Por decreto? Por regulamento? Não, quase determinismo inicial. Nós somos ela e ela somos nós. Ela domina-nos como a uma mão protetora que nos impõe obstáculos para que os possamos contornar, aprender, comunicando melhor, tornando-nos mais humanos. Que tal seja algo positivo.

A pobreza das gentes deste porto marítimo de 1976 é aquela material, permitissem-lhes, dessem-lhes, os mesmos caminhos e rapidamente se tornariam tão cintilantes quanto os outros “não pobres”.

Estas letras e palavras contam-nos como aquele estado de encantamento perante o mar se, por um lado, tolhe os movimentos, por outro, faz crescer a cana de pesca das ideias ou dos sonhos, nas palavras de Augusto Curry. Sim. Existe sempre uma réstia de sol que escapa por entre as nuvens, até que ilumine, com a sua energia, um qualquer óleo balear que irá aportar algures nas vidas de alguém. Tal qual um voltar de página, um salpico de letras sobre as areias depositadas pelas ondas, sempre maiores que quem quer que seja que as tente domar. E sim existe uma magia única a cada bater de uma barbatana de baleia que, azul, percorre os sete mares, sempre com uma aventura diferente, tal como fossem possíveis analogias com as viagens pelas sete colinas de Lisboa.

 

Entretanto, e porque a música se impõe, talvez pela luz da primavera, uma versão de "O Fado Português", pela I Maresias - TunaMaria.

https://www.facebook.com/TFIST/videos/819643462202052/

 

Um abraço.

Até breve.

 

 

 

Nascimentos...

por talesforlove, em 01.04.21

E hoje, enquanto nasce o resultado de uma nova Edição do Concurso Literário Natureza, saibamos fruir de um pouco de poesia e esperança. Aqui podem encontrar o regulamento da Edição atual: https://contosdasestrelas.blogs.sapo.pt/concurso-literario-natureza-2020-2021-92476

 

Sagrado, por Sílvia Silva (Portugal)

 

Eu encontro a força

Na natureza

Chãos sagrados

Da Terra Mãe

Vontade do Pai Sagrado…………

e a água de Neptuno ...

Todos nós carregamos vontades

Palavras sagradas ...

(Traga paz…)

Chamamentos divinos ...

(Shhh ... mantenha-se imóvel ...)

Esperamos ... por dias melhores

(Vai se tornar realidade ...)

Os sonhadores existem

Eles unem-se ...

No nosso Santuário.

 

Tradução livre de:

Sacred, por Sílvia Silva

 

I find the strength

In the nature

Sacred floors

Of Mother Gaia

Holy Father's Will

and Neptune's water...

We all carry intentions

Sacred words…

(Bring peace…)

Divine callings…

(Hush... stand still…)

We hope... for better days

(It will come true…)

Dreamers exist

They unite…

In our Sanctuary.

 

E aqui, como que em contemplação do inexplicável, relembremos Alpha:

 

 

Até já.

meta

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D