Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Contos das Estrelas

Neste blog são apresentados conteúdos literários. Para qualquer assunto podem contactar o autor via ruiprcar@gmail.com. Aceitam-se contributos de outros autores, de 4 a 24 de cada mês, relativos ao tema Natureza ou Universo :-)

Contos das Estrelas

Neste blog são apresentados conteúdos literários. Para qualquer assunto podem contactar o autor via ruiprcar@gmail.com. Aceitam-se contributos de outros autores, de 4 a 24 de cada mês, relativos ao tema Natureza ou Universo :-)

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Frases 1 - Sophia

por talesforlove, em 27.04.20

natal 2019 cantora anabela.jpg

Por Sophia

Esta é a madrugada que eu esperava

O dia inteiro e limpo

Onde emergimos da noite e do silêncio 

E livres habitamos a substância do tempo

 

Até breve.

Esperança, Tamera, Flor

por talesforlove, em 26.04.20

Eis que esperamos a nova madrugada sem doença

A força da esperança renovada

Numa flor, numa nova luz que se ergue.

 

Fica o convite para visitarem Tamera:

https://www.tamera.org/

 

Até breve.

5 regras para a felicidade

por talesforlove, em 25.04.20

Se funcionar para si, porque não :

Não se preocupe

Não odeie

Dê mais

Espere menos

Viva simplesmente

 

Até breve.

 

Hoje é uma vida nova

por talesforlove, em 24.04.20

Hoje ficam umas palavras de esperança nestes "tempos de corona". Temos que acreditar que cada dia é uma vids nova, aliás hoje é uma vida nova e devemos pensar que cada dia bem vivido é já por si uma Vitória. Nada devemos temer, pois, muito provavelmente de hoje a um ano já tudo estará resolvido, sendo que entretanto poderemos assistir a melhorias seguras nessa direção.

Hoje fica aqui uma sugestão  para ganhar mais confiança mesmo que nem sequer o leitor (ou leitora) tenha dinheiro para comprar as máscaras que desejaria...

Uma máscara facial para proteger do Covid-19 (corona) pode ser feita com um lenço e dois elásticos laterais. Acresce que se usar um filtro de café no interior a ação de proteção será ainda mais efetiva.

Alegadamente este tipo de máscara apenas protege os outros e não quem a usa mas, se todos usarem, trata-se de proteger todas as pessoas.

Podemos comprovar a utilidade deste tipo de máscaras em: Tomas Pueyo, "The Basic Dance Steps", medium.com

Em resumo, devemos socorrer-nos da ciência e claro, da sua Fé, se assim o entender. Claro, há espaço para todos, mas não para o Covid-19.

Hoje, para finalizar fica uma recomendação cinematográfica, para  se possível, assistirem na internet.

Entre tantos filmes de interesse, recomenda-se o filme: Cinema Paraíso.

Trata-se de um filme muito interessante sobre o poder do cinema e tem momentos comoventes e divertidos. Totó é uma pequena criança  que quer ver cinema e a história  parece ser esta... E basta para ser interessante.

Quando pudermos voltar ao cinema, o melhor será ter à entrada uma placa a referir que "corona aqui não ".

Até amanhã em publicação habitual.

Até breve.

Dia do Livro 2020

por talesforlove, em 23.04.20

Um livro deve ser, eventualmente, um quase manifesto de vida e não apenas um objeto comercial; em parte, um apóstolo, "crente" e assumido de um passado de uma autora ou autor que, que por já não ser presente, deixou de ser um "real", como nos habituámos a pensar no nosso dia à dia.

Ou seja, por outras palavras, num tom mais leve, um livro deve ser não  só algo que vamos mostrar aos outros e que, por esse motivo, desejamos que seja do seu agrado. Na minha opinião, e posso estar errado, um livro deve conter um pouco de nós e nessa medida "perpetuar" algo em que acreditamos, algo que nos faça sentido, também porque é o nosso (precioso) tempo que a ele dedicamos.

Há quem diga que a literatura é só  para entreter mas, discordo. Não pode ser só isso.

Hoje um blog literário como este, deve apelar à reconversão da indústria  do petróleo. Com o petróleo podem-se, eventualmente, criar medicamentos e outros produtos. Esta indústria  pode fazer painéis solares e outros geradores de energia limpa. Ninguém quer a miséria das pessoas dessas indústrias. Nós só queremos a nossa saúde e do planeta em que vivemos.

Haja saúde, hajam livros.

Até breve.

Luis Sepúlveda, “O Velho Que Lia Romances de Amor”, e a nossa Paz

por talesforlove, em 18.04.20


Paz, é o que mais podemos desejar quando sonhar com um Verão pleno é aquilo que mais necessitamos para sermos mais… não sei se felizes, se alheados (e alheadas), ou simplesmente mais humanos. Sonhar com uns “simples” passos dados junto de um belo rio em Portugal, ou ali mesmo com as ondas do mar, a dissolverem-se em espuma a nossos pés.
Não sei. Apenas julgo saber, e sabemos, que a vida é a teimosia que nos leva mais além, desconhecendo onde poderemos chegar. E acontece que nada disto é mesmo relevante se novamente olharmos o horizonte com os nossos corações e pulmões cheios de paz e tranquilidade.
Lembro de um concerto a que assisti, faz anos, e no qual, como tantos outros, me deixava ir pela música, e por aquela companhia de pessoas desconhecidas, tão diferentes, mas, tão iguais entre si. Tudo isto me fez recordar outros tempos que irão regressar em pleno só que sem a vida de Luis Sepúlveda.
“O Velho Que Lia Romances de Amor” foi publicado em 1989. Já então era um “grito” de ecologia e humanismo. Só conheci este texto há relativamente pouco tempo e compreendi que ele deixa uma marca em todos aqueles que não conhecendo “em pessoa” a Floresta Amazónica ou a América do Sul, sentem um fascínio por aquele verde misterioso, dominante como o mar e tão vivo como os recifes de coral. E… aquelas pessoas que nela habitam, fazem parte daquelas tonalidades, como o sol faz parte dos céus. Por lá, habitam os valentes sem o saber, os rebeldes da natureza que se submetem a ela para serem a vida pura.
É verdade, que muitos de nós nunca vão ouvir a melodia dessas paragens e, no entanto, este livro contém um encantamento que sobrevive, como um bom perfume, muito tempo após a passagem de quem se perfumou.


Hoje, temos, à nossa frente, um caminho verde, acreditemos…

Até breve.

Árvore Portuguesa do Ano 2020 – 2ª e 3ª classificadas

por talesforlove, em 18.04.20

Atualmente, temos uma qualidade do ar muito superior à que tínhamos em Fevereiro de 2020, sendo que tal se deve, infelizmente, ao motivo que certamente todos nós conhecemos.

Esta alteração tão importante pode ser uma justificação para pensarmos em hipóteses que podem ser muito interessantes, em concreto as seguintes:

  1. Será possível detetar alguma oscilação na alteração da temperatura média global?
  2. Será possível detetar alguma oscilação no número de casos de cancro do pulmão e outras doenças cuja justificação mais habitual tem sido a poluição atmosférica?

e

    3. A sociedade terá comportamentos emocionais diferentes no futuro?

 

Desejo que desta tragédia de saúde seja possível retirar algo de positivo, que suplante o sofrimento a que se tem assistido.

E para esquecer esta realidade, convido-vos a conhecer:

1. A Oliveira de Moução, perto de Abrantes, que é a mais antiga de Portugal (2º Lugar do Concurso Árvore Portuguesa do Ano 2020). Uma bela árvore com um tronco tão grande que já tem uma abertura central, através da qual podemos ver o céu através dela! Muito bonito!

e

2. A Canforeira de Bencanta, que poderá ser a maior da Europa (3º Lugar do Concurso Árvore Portuguesa do Ano 2020). Uma árvore com uma casca muito rugosa que quase nos faz lembrar a pele de um monstro imaginário…

 

Partilhem estes resultados. Subscrevam o blog. Obrigado.

Até breve.

Fernando Pessoa: D. Dinis em Mensagem

por talesforlove, em 16.04.20

Um poema de Fernando Pessoa.

 

Sexto

 

        D. DINIS

 

Na noite escreve um seu Cantar de Amigo

O plantador de naus a haver,

E ouve um silêncio múrmuro consigo:

É o rumor dos pinhais que, como um trigo

De Império, ondulam sem se poder ver.

 

Arroio, esse cantar, jovem e puro,

Busca o oceano por achar;

E a fala dos pinhais, marulho obscuro,

É o som presente desse mar futuro,

É a voz da terra ansiando pelo mar.

9-2-1934

Mensagem. Fernando Pessoa. Lisboa: Parceria António Maria Pereira, 1934 (Lisboa: Ática, 10ª ed. 1972).

 - 31.
 

nomuseu1.jpg

Nota: fotografia no Jardim do Museu de História Natural de Lisboa (Fevereiro 2020)

 

Até breve.

Dia Mundial da Arte

por talesforlove, em 15.04.20

Hoje é o Dia Mundial da Arte... Algo que que nos faz bem e que nos ajuda a sonhar. Por estes dias, Artistas e quem Apoia os mais necessitados, devem ser apoiados também, pois todos eles nos ajudam a viver melhor, sobretudo agora. Obrigado.

RosasCafeOK.JPG

Até breve.

 

"Tudo é possível" poema de São Gonçalves (2015) e Conselho Covid-19

por talesforlove, em 13.04.20

Apresentamos o poema vencedor do Concurso Literário em Homenagem ao Senhor Manoel de Oliveira, Cineasta Português:

 

Tudo é possível
 
tudo é possível quando a esperança se cola à vida

no passar dos anos, décadas desfilando

num olhar atento ao mundo

à memória,à historia de um pais amado,revisitado!
 

Tantas histórias contadas na tela de cinema

a vida,o drama ,a comédia

a luta infinda dos homens de fé


transmutações de vida, de sonhos

o silêncio impenetrável nas horas de criação

centenária a vida de um homem

 
a magia  do cinema transmitida de geração em geração!

 

Fica aqui também um conselho para quem deseja desinfetar uma superfície e tem água oxigenada em casa, a qual está num frasco com indicação de fora de prazo. Com efeito, a água oxigenada, ou peróxido de hidrogénio, degrada-se rápidamente após o frasco aberto e mesmo que não seja aberto, este líquido degrada-se a um ritmo aproximado de 0,5 % ao ano. A melhor forma de o testar será derramar um pouco e verificar se ainda faz borbulhas, sendo que se ainda produz borbulhas então está em condições.

Para mais detalhes recomenda-se o seguinte texto:

file:///C:/Users/Rui/Desktop/H2O2%20Hydrogen%20Peroxide.pdf

Até breve.

meta

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D