Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Contos das Estrelas

Neste blog são apresentados conteúdos literários. Para qualquer assunto podem contactar o autor via blogsnat@gmail.com. Aceitam-se contributos de outros autores, de 4 a 24 de cada mês, relativos ao tema Natureza ou Universo. :)

Contos das Estrelas

Neste blog são apresentados conteúdos literários. Para qualquer assunto podem contactar o autor via blogsnat@gmail.com. Aceitam-se contributos de outros autores, de 4 a 24 de cada mês, relativos ao tema Natureza ou Universo. :)

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Poema "Verdes recortes" por Rui M.; Bruno Nogueira e a Austrália

por talesforlove, em 24.02.20

Hoje surge um novo poema, pelo autor do Blog.

Adicionalmente, fica um programa de rádio do Humorista Bruno Nogueira, em que, em Tubo de Ensaio, no dia seguinte ao Dia de Reis, nos fala, sobretudo, dos Incêndios na Austrália. Afinal, um exemplo, de como se pode olhar com algum humor uma tragédia e assim, respirar e seguir em frente. Há que evitar tragédias iguais, ou similares, no futuro.

 

Verdes recortes, por Rui M.

 

Uma noite fotografei folhas pelos céus...

Veleiros negros, recortados de luar

e todo eu me evaporei naquele frio,

de contraluz, de imensidão e proximidade.

Senti-me como se já não estivesse ali,

Mas sim no firmamento, longe...

 

Sôfrego expirar de calor...

 

Na lente da máquina retive-a num momento,

mas está lá, eternizada para quem a quiser ver;

a Árvore empresta os ramos, eu as mãos,

Deus a luz, a lua seduz e nós,

os outros: a ilusão, que pinta de magia,

esta vida que em nós nasceu, um dia.

 

Aqui o Tubo de Ensaio de Bruno Nogueira.

https://d2al3n45gr0h51.cloudfront.net/ngx-audio/2020/01/tubo7_20200107014059/mp3/tubo7_20200107014059.mp3

 

Até breve.

Fernando Pessoa, poesia, flores e música

por talesforlove, em 16.02.20

Agora, após o final de uma exposição sobre a Amazónia, surge uma exposição sobre a criação com a natureza, na Galeria das Belas Artes, da Faculdade de Belas Artes. Com multimédia, imersão e outras surpresas. Vale a pena. Sigamos em frente.

 

Fernando Pessoa também gostava de sentir a natureza e de escrever sobre a natureza, como se a recordasse ou se a quisesse manter junto de si. Fica aqui um exemplo, seguido de uma música acompanhada de um vídeo que nos permite ver algumas paisagens que bem podiam ter inspirado este poema.

 

IX

 

Sou um guardador de rebanhos.

O rebanho é os meus pensamentos

E os meus pensamentos são todos sensações.

Penso com os olhos e com os ouvidos

E com as mãos e os pés

E com o nariz e a boca.

 

Pensar uma flor é vê-la e cheirá-la

E comer um fruto é saber-lhe o sentido.

 

Por isso quando num dia de calor

Me sinto triste de gozá-lo tanto,

E me deito ao comprido na erva,

E fecho os olhos quentes,

Sinto todo o meu corpo deitado na realidade,

Sei a verdade e sou feliz.

 

Fonte: http://arquivopessoa.net/textos/1488

 

Ludovico Einaudi - Nuvole Bianche

https://www.youtube.com/watch?v=xyY4IZ3JDFE

ceu palmeiras.jpg

 

 

A quem nos desejar contactar, a manifestar a vontade de vir a adquirir, no futuro, o livro deste blog, fica o obrigado sentido.

Até breve.

 

Uma fotografia e um convite poético

por talesforlove, em 04.02.20

Entramos em Fevereiro com temperaturas frequentemente superiores ao que poderíamos esperar, pelo que um passeio ao ar livre no fim de semana poderá vir a ser possível, tal como se estivéssemos na Primavera.

Fica um convite para ver a exposição A Home Made by Drawing: Amazonia (24 Jan – 17 Feb 2020), na Capela das Belas Artes, na Faculdade de Belas Artes, em Lisboa. Esta exposição fala da Amazónia enquanto casa, de tal forma que “explora modalidades não-estáticas e fluidas do habitar, que evoquem uma relação alternativa entre os seres humanos e o seu ambiente”, ou seja, sugere formas alternativas da noção de casa humana, a nossa. Haverá forma mais profunda de colocar em causa a nossa forma de relacionamento com a natureza? Podemos reparar que uma parte da instalação nos leva a imaginar uma casa sobre estacas de madeira, porque os animais selvagens, caso contrário, podem mesmo invadir e “partilhar” connosco a nossa habitação. Artisticamente, possivelmente sentimos uma simbologia da própria floresta amazónica que é incluída através de uma fotografia de grandes dimensões, o que é muito apelativo, sobretudo para quem a ama e sente esta “poesia visual”. Para conhecer mais sobre o autor desta exposição existe ainda esta página www.bordonaro.eu.

 

Fica uma fotografia noturna de uma árvore localizada algures em Lisboa, fica o enigma.

ArvoreCampoGrande.jpg

Até breve.

meta

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D