Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Contos das Estrelas

Neste blog são apresentados conteúdos literários. Para qualquer assunto podem contactar o autor via ruiprcar@gmail.com Boas leituras!

Contos das Estrelas

Neste blog são apresentados conteúdos literários. Para qualquer assunto podem contactar o autor via ruiprcar@gmail.com Boas leituras!

Publicidade automática:

Para recordar o fogo de Pedrógão, a 17 de Junho de 2017

por talesforlove, em 17.07.17

Verão 2017

 

Queria que o tempo do calor fosse perfeito.

Braços espraiados, manhã fresca e nova,

bolhas de sonhos a rebentar nas ondas, no peito,

e um ar leve, perfumado, morno, rarefeito, que renova.

 

Mas tudo se foi na veloz labareda,

que comeu os sonhos de outros, como bolos,

deixou o açúcar converter-se em nada e

a água do rio elevar-se para as nuvens,

e de lá se desprenderem em gotas,

sem dádiva, em choro que tolhe.

 

E por cá ficamos todos, a olhar para lá,

pelo ecrã, pelos olhos de outrem, pelos nossos,

a ver o que se desfez, tudo outra vez.

Muito mais sós.

 

Para mim, não será o mesmo, este Verão

embora o meu seja mais do mesmo, que o dos outros não será.

Todos sofremos profundamente à vez, para sermos assim:

capazes de nos ampararmos com força no coração.

 

 

 

Deles se desprenderam amigos, escoaram-se vidas,

que são abóbadas sem pedra, são céu, rimas perdidas,

são agora janelas sem cortinas, sem adeus;

restando-lhes o terno consolo de Deus.

 

12 e 14 e 16 de Julho de 2017

por Rui M.

 

espumabolhas2017.jpg

 

Esperança para Pedrógão Grande após o incêndio - um poema

por talesforlove, em 01.07.17

Verdes são os campos
Verdes são os campos,
De cor de limão:
Assim são os olhos
Do meu coração.

Campo, que te estendes
Com verdura bela;
Ovelhas, que nela
Vosso pasto tendes,
De ervas vos mantendes
Que traz o Verão,
E eu das lembranças
Do meu coração.

Gados que pasceis
Com contentamento,
Vosso mantimento
Não no entendereis;
Isso que comeis
Não são ervas, não:
São graças dos olhos
Do meu coração.

por Luís de Camões

Eurovisão... 2017

por talesforlove, em 14.05.17

Ontem foi um dia feliz para Portugal. O país começou abençoado pelo Papa Francisco e terminou com a vitória, no Festival Eurovisão da Canção, de Salvador Sobral ou melhor, dos Manos Luísa Sobral e Salvador Sobral, com a canção “Amar pelos Dois”. Vitória de uma bela música mas talvez sobretudo da família, do trabalho e da ética humilde e autêntica. Vale a pena acreditar e vencer de acordo com os nossos valores e formas de agir e não como uma imitação. Sem palavras.

Parabéns Salvador! És o maior Pá!

 

Pode encontrar aqui a letra/poema e vídeo oficial:

https://www.letras.mus.br/salvador-sobral/amar-pelos-dois/

 

Aqui uma notícia e os dois vídeos do evento:

http://radiocomercial.iol.pt/noticias/68970/portugal-conquista-feito-inedito-salvador-sobral-venceu-o-festival-eurovisao-da-cancao

 

E partilhamos ainda estas duas animações belíssimas, na nossa opinião:

 

Bom Domingo :)

 

 

Finalmente...

por talesforlove, em 02.05.17

Composição Musical por JV e Rui M.

Letra: "vejo pássaros em revoada" poeta Jardim

 

Poema 1º Lugar da Categoria Poesia "Natureza 2016":

 

vejo pássaros em revoada

buscando o azul de outra estação.

seus pequenos corpos voando em bando

revogam a sentença do tempo

e comunicam sua decisão

a quem como eu

está maravilhado

contemplando o imenso mar.

 

mais parecem flutuar

no fluxo de alguma corrente

real ou inexistente.

em sua busca convicta

há também uma sentença

que decreta a liberdade

e a crença no fluir da vida,

acima dos barcos, nesta manhã

no hemisfério sul.

 

diante do imenso mar

tenho a alma acorrentada

e uma imensa vontade de voar.

 

 

 

Uma canção plena de poesia e natureza

por talesforlove, em 11.04.17

Paula Fernandes - Eu sem voçê

 

https://www.youtube.com/watch?v=-ypIzdy1Bkc

 

Um poema com tradução para Dinamarquês

por talesforlove, em 04.04.17

 

Forår

 

Jeg er lys og strålende forår

Jeg vil aldrig blive kun en turist

Jeg er  lysegrøn, klorofyl, et blad

Jeg er statisk, loyal, evig

Vejrtrækning, reduktion af ilt

 

Firenze, i mine tidsløse drømme

Jeg er en blomst, en mandlig torn

Jeg er en imaginær rejse, uden fly, uden bagage

Jeg er genfødt i det tidlige forårs håb

Som heller ikke flyver, fordi jeg ikke anerkender himlen

 

Jeg er kun til fordi det at være er at tilhøre

 

Men verden indeholder mig, jeg flyver ikke

Og hvis jeg ikke kan, er det bedre ikke at ville

 

Der er et træ som ikke flyver med bladene

Og som ikke er verden, stå stille, rod, dyb

 

Em Primavera

 

Sou primavera, de luz, radiante,

Nunca serei turista, somente,

Sou folha, luz verde, clorofila,

Sou estático, leal, perene,

Respiração, redução de oxigénio.

 

Florença, dos meus sonhos intemporal,

Sou flor, do masculino espinho;

Sou viagem imaginária, sem avião, sem bagagem,

Sou renascido em (r)esperança primaveril,

Também que não voa, por não reconhecer o céu.

 

Sou apenas porque ser é pertencer.

 

Mas, o mundo contém-me, não fujo.

E se não posso, é melhor não querer...

 

Há lá árvore que não voe em folha

e não seja mundo, fixa, raiz, profunda?

 

 

NOTA:

Agradeço o apoio da Embaixada da Dinamarca em Lisboa.

Thank you to the Danish Embassy in Lisbon.

 

 

 

 

Principais Resultados da Categoria Poema - Natureza 2016

por talesforlove, em 15.03.17

Bom dia.

É com grande satisfação que finalmente apresentamos os resultados para a categoria poema. Note-se que ainda falta divulgar os poemas que vão fazer parte da Antologia, além dos 5 primeiros classificados. Estes, serão divulgados muito em breve.

 

1.º - Jardim
       Brasil
 
       Poema "Prometeu" - "vejo pássaros em revoada"
 
 
2.º - Eduardo Soares
       Brasil
   
       Poema "Vento"
 
 
3.º - Alberto Arecchi
       Itália
 
       Poema "Noite de Primavera"
 
 
4.º - Ana Maria Prande Pereira
       Brasil
 
       Poema "Minha árvore de flores amarelas"
 
 
5.º -  Joana Vicente
       Portugal
 
       Poema "Mar"
 
 
Parabéns!
Até breve.
 
A Equipa.

 

150 anos de Raúl Brandão - autor ligado à Natureza

por talesforlove, em 12.03.17

Um programa muito educativo sobre este autor que nos é querido:

https://www.rtp.pt/play/p415/e277938/memoria

 

Poesia original "Em Primavera"

por talesforlove, em 17.02.17

Em Primavera

 

Sou primavera, de luz, radiante,

Nunca serei turista, somente,

Sou folha, luz verde, clorofila,

Sou estático, leal, perene,

Respiração, redução de oxigénio.

 

Florença, dos meus sonhos intemporal,

Sou flor, do masculino espinho;

Sou viagem imaginária, sem avião, sem bagagem,

Sou renascido em (r)esperança primaveril,

Também que não voa, por não reconhecer o céu.

 

Sou apenas porque ser é pertencer.

 

Mas, o mundo contém-me, não fujo.

E se não posso, é melhor não querer...

 

Há lá árvore que não voe em folha

e não seja mundo, fixa, raiz, profunda?

 

por Rui M.

Categoria "Conto" Domingo dia 19 de Fevereiro

por talesforlove, em 13.02.17

Bom dia Autores e Amigos,

 

O resultado da categoria "Conto" será divulgado no Domingo dia 19 de Fevereiro de 2017.

A categoria "Poema" e "Trabalhos para Antologia", no final dessa mesma semana.

 

Pedimos desculpa pelo incómodo.

Melhores cumprimentos,

A Equipa

meta

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D