Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Contos das Estrelas

Neste blog são apresentados conteúdos literários. Para qualquer assunto podem contactar o autor via ruiprcar@gmail.com. Aceitam-se contributos de outros autores, de 10 a 14 de cada mês, relativos ao tema Natureza ou Universo. :)

Contos das Estrelas

Neste blog são apresentados conteúdos literários. Para qualquer assunto podem contactar o autor via ruiprcar@gmail.com. Aceitam-se contributos de outros autores, de 10 a 14 de cada mês, relativos ao tema Natureza ou Universo. :)

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Publicidade automática:

Fogos Florestais 2017 - Atualização e Fotos

por talesforlove, em 11.11.17

 

Porque o fogo mata é proibido esquecer o que foi (e é) a tragédia dos incêndios florestais em Portugal, sobretudo a 17 de Junho e a 15 de Outubro, do corrente ano.
Assim, convém atualizar o pedido de donativos para as vítimas. Neste momento o que as pessoas mais precisam, além de ter quem esteja disposto a ouvi-las, são louças e materiais de construção.

Ficam ainda aqui algumas fotos exclusivas do nosso blog:
 

fogo1.jpg

 

fogo2.jpg

 

casaqueimada.jpg

 Recorda-se que o Concurso Literário começa a 1 de Dezembro 2017.

Um abraço e boas leituras.

 

 
 
 
 

"Gotas de Chuva" - um poema por Pedrógão e tantos outros locais

por talesforlove, em 17.10.17


Gotas Ophéliares que cortam os ares,
Dos céus vindas, em setas, milhares,
e se cravam no solo e lhe sopram a vida,
que nos devolvem a esperança...
que nos prometem a futura bonança,
que nos livram, já hoje, do inferno,
e nos fazem desejar o Inverno...
que nos fazem esquecer sonhos (e pesadelos) de Verão,
que... nos devolvem o sono. Terno.
Que nos permitem repousar.
Repousar.
Chuva que lavas as nossas faces.

"Oração da Árvore" por Veiga Simões em 1914 - Ontem 3 meses após Pedrógão

por talesforlove, em 18.09.17

Oracao da arvore.JPG

 Nota: Fica o convite para subscrever este blog, incluindo o seu endereço de e-mail na caixa no topo desta página e clicando "subscrever". Obrigado.

Flor que Renasce (Em Pedrógão) / Poema

por talesforlove, em 01.09.17

Flor que Renasce (Em Pedrógão)

Teimosa; como só uma mulher sabe ser.
Sabedora; como só uma Deusa sabe ser.
Feminina e bela entre o negro de morte,
renasce, viva, dependente de força e não da sorte.

Bela é a sua força que dá cor à Manhã.
Ágape do nascer do sol que renova a Esperança.
E o vento embala-a, envolta em pó cinza,
que tudo em seu redor contempla a sua Dança.

É ela, a Flor, que se ergue no monte,
de novo, a provar que tinha razão quem a semeou...
a provar que uma Deusa nos olha de fronte:
sem medo, pese embora as que o vento levou.

Lentamente renasce a obra humana em seu redor,
mas ágil ao ritmo da verde Graça,
ela se ergue mais rápida que todos,
e nítida enquadra o futuro: Pintura baça.

Deusa da Manhã, vestida de Esperança,
Dança em Graça; balouça no ar sua Trança.

Notas
Um poema espiritual e feminista em homenagem a Janine Canan

http://www.janinecanan.com/

Hoje o poema em

http://synchchaos.com/

 

 

Sugestões relativas a fogos florestais em Portugal - Pedrógão

por talesforlove, em 17.08.17

Foi a 17 de Junho de 2017 que faleceram 64 pessoas diretamente devido ao enorme e cruel fogo em Pedrógão, o qual se ficou a dever às condições climatéricas desfavoráveis... mas não só. Não podemos esquecer estas pessoas e no futuro não pode ser colocado de parte todo o trabalho responsável e necessário, que exige a necessidade de evitar novas situações como esta. Estas duas sugestões são em memória e como apoio a todos os que sofrem com os fogos em Portugal.


1a - A criação de bocas de incêndio em locais estratégicos de algumas aldeias;

2a - Cativar o voluntariado nacional para apoio nos locais afetados. Por exemplo, para a reflorestação ou apoio a pessoas mais idosas.

 

Um abraço e boas leituras.

Para recordar o fogo de Pedrógão, a 17 de Junho de 2017

por talesforlove, em 17.07.17

Verão 2017

 

Queria que o tempo do calor fosse perfeito.

Braços espraiados, manhã fresca e nova,

bolhas de sonhos a rebentar nas ondas, no peito,

e um ar leve, perfumado, morno, rarefeito, que renova.

 

Mas tudo se foi na veloz labareda,

que comeu os sonhos de outros, como bolos,

deixou o açúcar converter-se em nada e

a água do rio elevar-se para as nuvens,

e de lá se desprenderem em gotas,

sem dádiva, em choro que tolhe.

 

E por cá ficamos todos, a olhar para lá,

pelo ecrã, pelos olhos de outrem, pelos nossos,

a ver o que se desfez, tudo outra vez.

Muito mais sós.

 

Para mim, não será o mesmo, este Verão

embora o meu seja mais do mesmo, que o dos outros não será.

Todos sofremos profundamente à vez, para sermos assim:

capazes de nos ampararmos com força no coração.

 

 

 

Deles se desprenderam amigos, escoaram-se vidas,

que são abóbadas sem pedra, são céu, rimas perdidas,

são agora janelas sem cortinas, sem adeus;

restando-lhes o terno consolo de Deus.

 

12 e 14 e 16 de Julho de 2017

por Rui M.

 

espumabolhas2017.jpg

 

Homenagem a Bombeiros e Militares no Fogo de Pedrógão e Góis

por talesforlove, em 20.06.17

Descalça vai para a fonte

 

“Descalça vai para a fonte

Leonor pela verdura;

Vai formosa e não segura.

 

Leva na cabeça o pote,

O texto nas mãos de prata,

Cinta de fina escarlata.

Sainho de chamalote;

Traz a vasquinha de cote.

Mais branca que a neve pura;

Vai formosa e não segura.

 

Descobre a touca a garganta,

Cabelos de ouro o trançado,

Fita de cõr de encarnado,

Tão linda que o mundo espanta;

Chove nela graça tanta

Que dá graça a formesura;

Vai formosa e não segura.”

 

Luís de Camões

O Fogo retratado no Jornal Bom Dia

por talesforlove, em 20.06.17

 

http://bomdia.eu/64-vitimas-mortais-no-incendio-pedrogao-grande/

 

Como ajudar....

por talesforlove, em 19.06.17

Podem ver esta página com informação de como ajudar bombeiros e vítimas do fogo:

http://24.sapo.pt/atualidade/artigos/incendios-saiba-como-ajudar-os-bombeiros

 

meta

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D