Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Contos das Estrelas

Neste blog são apresentados conteúdos literários. Para qualquer assunto podem contactar o autor via ruiprcar@gmail.com. Aceitam-se contributos de outros autores, de 4 a 24 de cada mês, relativos ao tema Natureza ou Universo. :)

Contos das Estrelas

Neste blog são apresentados conteúdos literários. Para qualquer assunto podem contactar o autor via ruiprcar@gmail.com. Aceitam-se contributos de outros autores, de 4 a 24 de cada mês, relativos ao tema Natureza ou Universo. :)

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Publicidade automática:

Partida do Zé Pedro dos Xutos & Pontapés

por talesforlove, em 30.11.17

Hoje partiu o nosso Amigo Zé Pedro, dos Xutos & Pontapés, e em homenagem ao seu sorriso há que sorrir. Lembro-me dos dois concertos dos Xutos a que assisti, mas sobretudo daquele... em que cheguei a casa coberto de terra mais ou menos até ao peito! Reparei quando cheguei a casa e fui obrigado a deixar os sapatos à porta. Foi provavelmente o dia mais feliz da minha vida! 
Os Xutos são uma força invencível e hoje o sorriso dele é nosso. Obrigado Zé Pedro! 
Sorrimos por ti. 

Ficam aqui as tuas músicas no Rock in Rio Lisboa.

 

Xutos & Pontapés - "Não Sou O único"

Rock In Rio 2010 Lisboa - 27/05/10

 

 

 Letra

 

Pensas que eu sou um caso isolado
Não sou o único a olhar o céu
A ver os sonhos partirem
À espera que algo aconteça
A despejar a minha raiva
A viver as emoções
A desejar o que não tive
Agarrado ás tentações
E quando as nuvens partirem
O céu azul ficará
E quando as trevas abrirem
Vais ver, o sol brilhará
Vais ver, o sol brilhará
Não, não sou o único
Não, sou o único a olhar o céu
Não, não sou o único
Não, sou o único a olhar o céu Pensas que eu sou um caso isolado
Não sou o único a olhar o céu
A ouvir os conselhos dos outros
E sempre a cair nos buracos
A desejar o que não tive
Agarrado ao que não tenho
Não, não sou o único
Não sou o único a olhar o céu E quando as nuvens partirem
O céu azul ficará
E quando as trevas abrirem
Vais ver, o sol brilhará
Vais ver, o sol brilhará

 

Xutos e Pontapés - Não sou o Único
por Zé Pedro

 

Xutos e Pontapés - "A minha casinha" ( Rock In Rio 2010 Lisboa ) 27/05/10

 

Xutos e Pontapés - "Contentores" ( Rock In Rio 2010 Lisboa ) 27/05/10

 

 

Xutos e Pontapés - "Maria" ( Rock In Rio 2010 Lisboa ) 27/05/10

 

Xutos & Pontapés - "Homem do Leme" (Estádio do Restelo)

 

 

Notícias sobre o Zé Pedro: 

 

http://sicnoticias.sapo.pt/cultura/2017-11-30-Morreu-Ze-Pedro-dos-Xutos--Pontapes

 

http://visao.sapo.pt/actualidade/cultura/2017-11-30-Ze-Pedro-tao-forte-como-a-guitarra-era-o-sorriso

 

https://www.noticiasaominuto.com/cultura/909565/covoes-recorda-o-senhor-sorriso-o-espectador-numero-um-em-portugal

 

Um abraço e Alegria para todos.

 

 

mw-860.jpg

 

 Xutos & Pontapés - "Remar, Remar" - Restelo 2009

 

 

Xutos & Pontapés - "Chuva Dissolvente"

 

 

 

Xutos & Pontapés - "Circo de Feras"

 

 

Até breve :-)

 

Homenagem a todos nós que acreditamos num futuro melhor...

por talesforlove, em 22.06.17

Porque é nos momentos difíceis que devemos ser maiores (e seremos):

 

Para ser grande, sê inteiro: nada

        Teu exagera ou exclui.

Sê todo em cada coisa. Põe quanto és

         No mínimo que fazes.

Assim em cada lago a lua toda

         Brilha, porque alta vive.

 

Ricardo Reis (Fernando Pessoa), 1933

 

 

Fogo de Pedrógão Grande... (2)

por talesforlove, em 19.06.17

Caros(as) Amigos(as),


Um blog que se diz de literatura e promove um concurso literário sobre “natureza” não pode deixar de tomar nota da tragédia do fogo de Pedrógão Grande e Concelhos Vizinhos, em Portugal. Era bem melhor que nada tivesse acontecido mas há que dar uma palavra de apoio às pessoas afectadas e seus familiares. O fogo tem estado à solta e indomável...
Neste blog apresentamos sugestões e não uma solução, só se saberia se seria realmente uma solução se pelo menos em parte fosse testada...


A primeira sugestão:

Transformar a “estrada da morte” em “estrada da nossa esperança” através do escrupuloso cumprimento da Lei Florestal em ambos os lados da estrada, mas se a Lei em si mesma for insuficiente então que se altere atendendo ao que sucedeu. A limpeza das duas margens da estrada deveria ser no mínimo de 20 metros implicando pelo menos a redução da densidade das árvores e, porque não, apoio do Estado aos particulares.
A criação de locais de repouso em ambos os lados da estrada, de forma espaçada, recorrendo a atividades úteis como por exemplo, a criação de um parque eólico ao longo da estrada ainda que o seu rendimento não seja o mais desejado... Porque não estudar forma de melhorar esse desempenho atendendo a que em estradas como esta se assiste frequentemente a situações de fuga a fogos? Não valerá a pena o estudo e o custo atendendo a que as vidas humanas valem muitíssimo mais?

 

Afinal a própria energia elétrica gerada poderá ser usada para um sistema de monitorização remota das estradas da região. A existência das torres e do respetivo parque, poderá criar, só por si, uma área envolvente sem floresta densa e com locais de resguardo para quem passa nesta via (e outras). Trata-se, eventualmente uma sinergia ...
Quaisquer ideias ou sugestões que surjam para evitar esta situação no futuro só podem ser úteis se forem de facto implementadas e seria interessante verificar em que se fala em Portugal no próximo dia 17 de Julho, apenas um mês depois da tragédia da enorme perda de vidas humanas... e depois a 17 de Agosto, e sucessivamente, pois de facto neste contexto há que estabelecer objetivos e marcos no tempo para verificar o que se tem feito...
No próximo texto uma próxima sugestão...

meta

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D