Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Contos das Estrelas

Neste blog são apresentados conteúdos literários. Para qualquer assunto podem contactar o autor via ruiprcar@gmail.com Boas leituras!

Contos das Estrelas

Neste blog são apresentados conteúdos literários. Para qualquer assunto podem contactar o autor via ruiprcar@gmail.com Boas leituras!

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Publicidade automática:

Porque é importante não esquecer...

por talesforlove, em 26.06.17

 

Medos rubros

 

Ao cimo da serra, eu ergo a minha mão.

E entre os troncos dos meus dedos,

enquanto soletro uma silenciosa oração,

surgem, vermelhos, os meus medos...

 

por Rui M.

 

 

Um pequeno recanto de natureza idêntico a tantos que arderam nas serras...

 

oliveirasemilho.jpg

 

 

Detalhe de folhas queimadas que viajaram cerca de 6 kms a voar... estão inteiras e podem ter a noção da sua dimensão...

folhascommedida.jpg

 

Homenagem a todos nós que acreditamos num futuro melhor...

por talesforlove, em 22.06.17

Porque é nos momentos difíceis que devemos ser maiores (e seremos):

 

Para ser grande, sê inteiro: nada

        Teu exagera ou exclui.

Sê todo em cada coisa. Põe quanto és

         No mínimo que fazes.

Assim em cada lago a lua toda

         Brilha, porque alta vive.

 

Ricardo Reis (Fernando Pessoa), 1933

 

 

Homenagem a Bombeiros e Militares no Fogo de Pedrógão e Góis

por talesforlove, em 20.06.17

Descalça vai para a fonte

 

“Descalça vai para a fonte

Leonor pela verdura;

Vai formosa e não segura.

 

Leva na cabeça o pote,

O texto nas mãos de prata,

Cinta de fina escarlata.

Sainho de chamalote;

Traz a vasquinha de cote.

Mais branca que a neve pura;

Vai formosa e não segura.

 

Descobre a touca a garganta,

Cabelos de ouro o trançado,

Fita de cõr de encarnado,

Tão linda que o mundo espanta;

Chove nela graça tanta

Que dá graça a formesura;

Vai formosa e não segura.”

 

Luís de Camões

Quase no Final da Feira do LIvro de Lisboa... 2017

por talesforlove, em 14.06.17

Uma frase de Fernando Pessoa:

 

"Descobri que a leitura é uma forma servil de sonhar. Se tenho de sonhar, porque não sonhar os meus próprios sonhos?"

 

Fernando Pessoa

Outro Fado em Esquina de Alfama, Lisboa

por talesforlove, em 29.05.17

 No “Esquina de Alfama” foi possível encontrar um conjunto de Fadistas que animam a noite com as suas vozes e guitarras, a tal ponto que nos sentimos confusos, entre o tradicional e o brilhar dos telemóveis que surgem nas mãos dos visitantes ansiosos por levar consigo um pouco da atmosfera do restaurante.
Sente-se uma paz que nos invade pela forma inesperada como o Fado toma conta de nós, ali no meio da Lisboa Antiga, cercada pela modernidade. Não muito longe, durante o dia, é possível avistar barcos enormes que vêem lotados de turistas de todo o mundo, aventureiros dos mares, de capacidade muito superior ao Titanic. A sua dimensão imensa rivaliza com a profundidade do que sentimos em locais tão pequenos em espaço habitável e preenchidos por música, mas tão grandes em história e qualidade.
Sabemos que frequentemente o público não compreende a letra, só que isso não interessa a ninguém. A música impõem-se sem mais delongas e todos nós ali comungamos de um estado de alma que nos preenche com sonhos, pedaços de passados que só existiram enquanto aproximação entre o que imaginamos e o que realmente foi...
Assim, embalados pela melodia e o famoso trinar das guitarras, lugar comum tantas vezes recordado, quase nos esquecemos de saborear a comida sobre as mesas, ali mesmo à nossa frente. Também ela de qualidade imensa, também ela recheada de sabores com histórias milenares... E no final, tanto palavreado que possamos apresentar nunca, mas nunca, poderá substituir uma visita em dia de encontro pacífico connosco e com os outros, num local tão único quanto cada ser humano pode ser, e é.

Antologia "Natureza 2016" Já Disponível

por talesforlove, em 16.05.17

Bom dia!

 

Já se encontra disponível a Antologia "Natureza 2016" a qual pode adequirir com a contrapartida de um pequeno donativo!

Contacto: ruiprcar@gmail.com

Um grande abraço!

Viva a literatura!

Eurovisão... 2017

por talesforlove, em 14.05.17

Ontem foi um dia feliz para Portugal. O país começou abençoado pelo Papa Francisco e terminou com a vitória, no Festival Eurovisão da Canção, de Salvador Sobral ou melhor, dos Manos Luísa Sobral e Salvador Sobral, com a canção “Amar pelos Dois”. Vitória de uma bela música mas talvez sobretudo da família, do trabalho e da ética humilde e autêntica. Vale a pena acreditar e vencer de acordo com os nossos valores e formas de agir e não como uma imitação. Sem palavras.

Parabéns Salvador! És o maior Pá!

 

Pode encontrar aqui a letra/poema e vídeo oficial:

https://www.letras.mus.br/salvador-sobral/amar-pelos-dois/

 

Aqui uma notícia e os dois vídeos do evento:

http://radiocomercial.iol.pt/noticias/68970/portugal-conquista-feito-inedito-salvador-sobral-venceu-o-festival-eurovisao-da-cancao

 

E partilhamos ainda estas duas animações belíssimas, na nossa opinião:

 

Bom Domingo :)

 

 

Finalmente...

por talesforlove, em 02.05.17

Composição Musical por JV e Rui M.

Letra: "vejo pássaros em revoada" poeta Jardim

 

Poema 1º Lugar da Categoria Poesia "Natureza 2016":

 

vejo pássaros em revoada

buscando o azul de outra estação.

seus pequenos corpos voando em bando

revogam a sentença do tempo

e comunicam sua decisão

a quem como eu

está maravilhado

contemplando o imenso mar.

 

mais parecem flutuar

no fluxo de alguma corrente

real ou inexistente.

em sua busca convicta

há também uma sentença

que decreta a liberdade

e a crença no fluir da vida,

acima dos barcos, nesta manhã

no hemisfério sul.

 

diante do imenso mar

tenho a alma acorrentada

e uma imensa vontade de voar.

 

 

 

Uma canção plena de poesia e natureza

por talesforlove, em 11.04.17

Paula Fernandes - Eu sem voçê

 

https://www.youtube.com/watch?v=-ypIzdy1Bkc

 

Feliz Dia da Floresta - Resultados da Categoria Poesia/Poema "Natureza 2016"

por talesforlove, em 21.03.17

Muitos parabéns!

E até breve a todos os autores, pois todos, serão contactados.

 

Grandes Vencedores "Natureza 2016"

1.º - "Prometeu" - "vejo pássaros em revoada", Jardim, Brasil

2.º - "Vento", Eduardo Soares, Brasil

3.º - "Noite de Primavera", Alberto Arecchi, Itália

4.º - "Minha árvore de flores amarelas", Ana Maria Prande Pereira, Brasil

5.º - "Mar", Joana Vicente, Portugal


“Tributo às sete quedas”, Aparecida dos Santos, Brasil

“Garça”, Alberto Arecchi, Itàlia

"À Gaia", Cavaleiro de Cervantes, Brasil

“Seremos árvores?”, Vanessa Borboni, Brasil

“Mata atlântica”, Edilson de Souza, Brasil

“Natureza”, Guilherme Martinez, Brasil

"Rosa (flor) de Janeiro", Diógenes da Silva, Brasil

"Tragédia em Marte", Jonatha Brito, Brasil

"Alma verde", Fernanda Silva, Brasil

“Uma estrela”, Cristiano Rufino, Brasil

“Um lugar”, Cristiano Rufino, Brasil

“MANTRA”, Joana Vicente, Portugal

“Terranova”, Gisela Musik, Brasil

"Flor enigmática", Fábio Kawati, Brasil

“Flor de calçada”, Sabrina Dalbelo, Brasil

"Na possibilidade do se", Caliel Alves, Brasil

"Da chuva vem o leite", Gregório Camilo, Brasil

"Poeta", Maria Coquemala, Brasil

“Dente-de-leão”, Kelly Mousinho, Brasil

"És fogo", Paulo Oliveira, Portugal

“Leve sopro de Deus”, Everson Lira, Brasil

"Útero-espírito", Priscila Luana, Brasil

“Vitória-régia”, Davi Alvarenga, Brasil

“Mandrágora e orvalho”, Ricardo Vergueiro, Brasil

“Sob um olhar inocente”, Renata Dake, Japão

“Onde está a natureza?”, Diogo Prado, Brasil

“Devastação”, Marlin Bremm, Brasil

“Eu sou a poesia”, Sténio Afénix, Angola

“As árvores são como os peixes”, Josafá de Lima, Brasil

“Fragmentos de uma tarde”, Jessyca Santiago, Brasil

“A planta”, Jardel Ferreira, Brasil

“Enxergar tão perto o mar”, Juliano Rolim, Brasil

“Caminho das águas”, Brunno de Andrade, Brasil

“Alucinações II”, Marcos Oliveira Jr, Brasil

“Essensibilidade”, Marcos Oliveira Jr, Brasil

“As Flores de Midlands”, Ricardo Lacava, Brasil

“A odisséia da motosserra sem alma”, Gerson Gastaldi, Brasil

“O amanhecer cativo”, Gerson Gastaldi, Brasil

“Vida desnaturada”, Amanda Tintori, Brasil

“O eterno retorno da Primavera”, Jhenyfer Vicente, Brasil

“Desfolhando”, Jhenyfer Vicente, Brasil

“Sustentabilidade”, Léo Ottesen, Brasil

“No meio do concreto nasceu uma flor”, Léo Ottesen, Brasil

“Festa na floresta”, Edweine Loureiro, Japão

“Canto e choro com o grito da terra”, Nadia Junqueira, Brasil

“Metamorfose”, Fátima Esteves, Portugal

“Sobre as Cinzas dos Mangueirais”, Francisco Gabriel, Brasil

“Aquela corrente d’água”, Lenilson Silva, Brasil

“AMIGO ‘CÃOPANHEIRO’”, Gui Ortolan, Brasil

“Triste Fado”, João Araújo, Brasil

“canção ao grande guerreiro tibicurana,da tribo tupi”, Josue Teixeira, Brasil

“Ambos”, Adilson Gonçalves, Brasil

“litoral literal”, Adilson Gonçalves, Brasil

“As águas precisam das árvores – Um clamor aqui do Brasil”, Olidnéri Bello,Brasil

“Natureza-Morta”, Thiago Luz, Brasil

“A natureza é linda”, Inês Caretas,Portugal

“Minha árvore de flores amarelas”, Brasil, Ana Pereira

“Poesia 1”, Pedro Panhoca, Brasil

“Poesia 2”, Pedro Panhoca, Brasil

“PERDÃO”, Gilberto da Costa, Brasil

“Diálogo Com a Amora da Amoreira dos Dias Contados”, Fábio da Silva, Brasil

“Tendi piedade seu moço!”, Igor Natiulio, Brasil

“Sal”, Sara Timóteo, Portugal

“SOMOS POEIRA DAS ESTRELAS: NOSSA PÁTRIA É O UNIVERSO!”, Rodrigo Petit, Brasil

“FESTA NA FLORESTA”, Edweine Loureiro, Japão

“Natureza que um dia foste!”, Gabriela Gonçalves Estevão, Portugal

“Exaltação ao rio Amazonas”, Valdir das Chagas, Brasil

“Cardiografia:” por Karina Issa, Brasil

meta

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D