Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Contos das Estrelas

Neste blog são apresentados conteúdos literários. Para qualquer assunto podem contactar o autor via ruiprcar@gmail.com. Aceitam-se contributos de outros autores, de 10 a 14 de cada mês, relativos ao tema Natureza ou Universo. :)

Contos das Estrelas

Neste blog são apresentados conteúdos literários. Para qualquer assunto podem contactar o autor via ruiprcar@gmail.com. Aceitam-se contributos de outros autores, de 10 a 14 de cada mês, relativos ao tema Natureza ou Universo. :)

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Publicidade automática:

"Oração da Árvore" por Veiga Simões em 1914 - Ontem 3 meses após Pedrógão

por talesforlove, em 18.09.17

Oracao da arvore.JPG

 Nota: Fica o convite para subscrever este blog, incluindo o seu endereço de e-mail na caixa no topo desta página e clicando "subscrever". Obrigado.

Um filme a ver: Indice Médio de Felicidade (Portugal Agosto 2017)

por talesforlove, em 11.09.17

Podem ver o trailer aqui:

 

Na minha opinião, este filme aborda de forma agradável o tema delicado da crise financeira global que tem afetado Portugal nos anos recentes. É bom verificar como os amigos e família podem ajudar os protagonistas desta história a centrarem a sua via no essencial e a (re)construírem a sua vivência com base em sentimentos que podemos identificar como "de felicidade".
Sim, é um filme bonito que ajuda a encontrar horizontes renovados para o presente (e para o futuro). A imagem "final" do trailer, uma longa ponte, ajuda-nos neste sentido... Que bom!

 

Boas leituras.

Save

Klingande - Jubel (Video Official)

por talesforlove, em 02.09.17

Por: Pictionary Productions

Klingande - Jubel // OFFICIAL MUSIC VIDEO

 

Porque o Verão continua...

Flor que Renasce (Em Pedrógão) / Poema

por talesforlove, em 01.09.17

Flor que Renasce (Em Pedrógão)

Teimosa; como só uma mulher sabe ser.
Sabedora; como só uma Deusa sabe ser.
Feminina e bela entre o negro de morte,
renasce, viva, dependente de força e não da sorte.

Bela é a sua força que dá cor à Manhã.
Ágape do nascer do sol que renova a Esperança.
E o vento embala-a, envolta em pó cinza,
que tudo em seu redor contempla a sua Dança.

É ela, a Flor, que se ergue no monte,
de novo, a provar que tinha razão quem a semeou...
a provar que uma Deusa nos olha de fronte:
sem medo, pese embora as que o vento levou.

Lentamente renasce a obra humana em seu redor,
mas ágil ao ritmo da verde Graça,
ela se ergue mais rápida que todos,
e nítida enquadra o futuro: Pintura baça.

Deusa da Manhã, vestida de Esperança,
Dança em Graça; balouça no ar sua Trança.

Notas
Um poema espiritual e feminista em homenagem a Janine Canan

http://www.janinecanan.com/

Hoje o poema em

http://synchchaos.com/

 

 

meta

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D