Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Contos das Estrelas

Neste blog são apresentados conteúdos literários. Para qualquer assunto podem contactar o autor via ruiprcar@gmail.com Boas leituras!

Contos das Estrelas

Neste blog são apresentados conteúdos literários. Para qualquer assunto podem contactar o autor via ruiprcar@gmail.com Boas leituras!

Publicidade automática:

Concurso Literário Internacional - “Poemas e contos sobre a natureza — 2015”

por talesforlove, em 25.06.15

A floresta respira e, como resultado, o planeta terra também respira, dando-nos o oxigénio de que necessitamos para viver. Durante o Inverno, no hemisfério norte, onde está a maioria da terra não submersa do Planeta, muitas árvores perdem as folhas, e o dióxido de carbono aumenta na atmosfera, de que resulta um pequeno aumento da temperatura global. Na Primavera e durante o Verão, as árvores criam folhas, que permitem a captura de dióxido de carbono, fazendo com que o clima se torne ligeiramente mais fresco.

Para vos dizer a verdade, considero que as árvores são preciosas onde quer que se encontrem, quer estejam sozinhas numa rua cinzenta quer estejam num pequeno grupo num bonito jardim artificial. Ajudar uma árvore a crescer é como ajudar a crescer uma amizade, é um acto de poesia, e quem sabe que contos podem inspirar os raios solares que atravessam os seus ramos.

Nenhum animal do mundo quer saber de poesia escrita porque lhe basta a poesia visual das flores ou dos recifes coloridos. Os animais simplesmente desfrutam a beleza das dádivas da natureza pura!

Mas você sabe que a subida de temperatura média do mar em dois graus Celcius pode causar sérios danos aos recifes? E sabe que o grande segredo dos cães é a sua amizade e abordagem simpática para connosco? Certamente, sente que toda a criatura viva é Natureza; nós mesmos somos parte da Natureza, e por isso também merecemos um poema… Proteger as flores é proteger-nos a nós.

A vida é especial, e é por isso que fazemos o convite para participar com o seu melhor poema ou conto sobre a Natureza.

Desejamos seleccionar 36 poemas e 4 contos para uma antologia que será publicada como e-book em PDF (e eventualmente para Windows 8).

Regulamento:

  1. A participação neste concurso é gratuita.
  2. Qualquer pessoa de qualquer país pode participar desde que submeta trabalho redigido em português.
  3. Requer-se o preenchimento e envio do questionário (anónimo) disponível em: https://docs.google.com/forms/d/1rmFKGFHAIqWcgXEb3JK6J6HXZXxQmES8kWZnaf0P1vA/viewform.
  4. Cada participante pode submeter dois poemas, sem limite de palavras, e um conto, com um máximo de 3000 palavras.
  5. Os trabalhos devem ser enviados por e-mail para Rui M. (ruiprcar@gmail.com) juntamente com nome, país, contacto electrónico. O assunto do e-mail deve ser Concurso Literário Internacional Poemas e Contos para Natureza 2015’”.
  6. Os autores premiados têm direito a certificado em formato digital.
  7. Os cinco primeiros classificados na categoria poemas têm direito a uma gravação áudio do seu poema.

 

  1. Todos os poemas seleccionados serão publicados em antologia, a qual estará disponível em formato PDF (possibilidade de vir a existir em Windows), com um custo de 2,5 € (pagamento por PayPal). Os autores premiados têm direito a uma versão gratuita. Do valor cobrado nas vendas, serão utilizados 50 % para pagar custos do concurso, 25 % para plantar árvores e 25 % para o prémio monetário do próximo concurso literário.
  2. Data limite de participação: 30 de Setembro de 2015.
  3. Os resultados serão anunciados em finais de Outubro em  http://contosdasestrelas.blogs.sapo.pt/.

 

 

Organizador do concurso:

Rui M.

 

Responsável do Júri:

Ricardo Nobre, Doutor em Estudos Portugueses pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa

 

Principal patrocinador:

Rui M. Publishing

 

Parceiros:

 

a) Book Park and Arts & Literature (España/Spain/Espanha)

http://www.thebookpark.com

 

b) Blog Destante (Portugal)

http://destante.blogspot.pt/

 

c) Encruzilhadas Literárias (Portugal)

http://encruzilhadasliterarias.blogspot.pt

 

d) Jornal Bom Dia (Luxemburgo)

http://bomdia.eu/participe-em-concurso-literario-internacional/

 

e) Biblioteca de Arganil - Miguel Torga

http://www.bibliotecas.cm-arganil.pt/

 

f) Comissão de Festas de Santa Catarina 2015;

https://www.facebook.com/santacatarina2014

 

Melhores cumprimentos,

Rui M.

 

Fotos inspiradoras:

 

flores.jpg

 

florespequenas.png

 

 

Relógios de parede - 25 cms - 18 Euros (mais custos de envio)

por talesforlove, em 25.06.15

relogionrs1.png

 

relogiouvas1.png

 Relógios de MDF, de elevada perfeição e qualidade a um preço excelente!

Um Euro por cada relogio será para a plantação de árvores.

Contacto: ruiprcar@gmail.com

III - 3a Parte - Tríptico poético em clave de Sol

por talesforlove, em 15.06.15

À mudança do mundo, tudo dou,

sem escolha, que eu, para ele, de tão pouco, nada sou.

Às vezes resta-me uma estrela Alpha Centauri, sem nexo,

de brilho cristalino, gélido, e eu me deixo ir preplexo.

 

Só que, no Universo, tudo o que é próximo,

é também um irradiar distante...

Pelo que, para ir além no horizonte, fecham-se os olhos,

e a imaginação necessita-se então aos molhos...

 

Para o novo Sol Centauri, nem a rápida arte de viajar,

que permita ver outros prados verdejantes,

nem novas estrelas à noite refletidas em novo mar.

Temos só a poesia perfumada, nostágica do Antes.

 

Nota: a estrela Alpha Centauri é a estrela mais próxima da terra, encontrando-se a 4 anos luz.

A velocidade da luz é cerca de 280 mil quilómetros por segundo.

Tríptico poético em clave de Sol

por talesforlove, em 10.06.15

I Primeira parte

 

Um dia irás além.
Verás de novo o horizonte como ao presente,
após esqueceres o efémero e mudo passado.

 

II  Segunda parte

 

Alguém disse, e escreveu, que na vida só se é feliz
quando se ama alguém. E eu acredito, porque só então as íris
se dilatam com a cromaticidade da incadescência musical.
E ninguém leva a mal. E quando me levanto pela manhã,
já a a eternidade do sol irradia o seu calor de átomos saltitantes.
Dantes tudo era ausência, então tudo é demência. Mas, não
há esquecimento nem se sente o vento, só o tormento que permite dormir ao relento.
E a morte nada pode, porque a vida, passada em revista é
uma sucessão de bebidas, aperitivos, queijos e beijos, diante da nossa vista.

[para breve a 3a parte]

meta

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D